Jogos

Published on dezembro 4th, 2014 | by Redação TdG

Transistor, um sucessor de Bastion com neon

Por Leandro Tavares

“O garoto apenas ensandece-se por um momento”. Quem jogou Bastion se acostumou com a narrativa direcionada pela voz de Rucks, sempre se adaptando aos movimentos do jogador para dar quase uma sensação de que tudo que acontece já estava escrito nas estrelas. Três anos após o sucesso indie, a Supergiant  Games lançou Transistor, espécie de sucessor que se aproveita das mecânicas do jogo anterior, porém com adições que dão nova profundidade à experiência.

Transistor_20140517102342A trama gira em torno de Red e do Transistor. A primeira é a personagem principal comandada pelo jogador. Cantora, Red perdeu sua voz após seu último show por motivos que serão deixados de lado pois esse é um texto do Guru do Frete, não do Guru dos Spoilers. O fato dela ser uma cantora é tão importante que a produtora dedicou um botão no controle para que Red, mesmo sem voz, cantarole no ritmo de cada música do jogo.

Já o Transistor é uma espada falante azul, que esta enfiada num corpo ao lado de Red logo no início do jogo. A espada faz as vezes de Rucks em Transistor, mas sem dar o ar de quem sabia que aquilo aconteceria. Ela mais comenta o que acontece ao longo do jogo, sendo o principal laço narrativo.

Nos primeiros minutos explorando Cloudbank, a cidade futurista neon com ares de anos 80, o jogador identifica os inimigos, os Processos, programas rebeldes que se reproduzem e  invadem a cidade de maneira descontrolada. O motivo desta ameaça, o papel de Red na trama e por que diabos a espada fala são perguntas respondidas nas pouco mais de seis horas de jogo.

transistor1-620xApesar das semelhanças com Bastion, Transistor não é um jogo de ação e sim um RPG. Durante os combates, ao apertar um botão é possível parar o tempo e entrar num modo de planejamento de movimentos e habilidades, o Turn. E este é um dos momentos em que a mecânica do jogo brilha.

É possível utilizar as Funções (habilidades) de maneira programada e rápida, antes que os inimigos voltem a se movimentar para, por exemplo, fugir do raio de ação de um golpe. E há uma amplo leque possibilidade de uso para as 16 Funções disponíveis no jogo. O jogador pode equipar quatro Funções como habilidades ativas de batalha e outras quatro como passivas.

Além disso, cada um dos quatro golpes podem receber outras duas Funções como boosters, levando a resultados como um golpe de ataque curto que ao mesmo tempo faz do inimigo aliado por alguns segundos enquanto este mesmo perde parte de sua energia durante o período. As opções de habilidades são abertas conforme Red sobe de nível. Transistor1

Outra característica aclamada de Bastion também está de volta: o controle de dificuldade na mão do jogador. Há um sistema de Limitadores em que é possível adicionar habilidades aos inimigos, como aumentar seu poder ou permitir que eles tenham mais chances de voltar ao combate quando derrotados. Cada Limitador dá uma porcentagem extra na experiência recebida após o combate, tornando o sistema desafio/recompensa justo.

Transistor é um jogo de detalhes que vale cada hora de empenho, principalmente por não se prolongar por mais do que o necessário.

Tags: , , ,


About the Author

A "Redação TdG" é um grande espaço ocupado por ´jornalistas goblins´ que escrevem suas matérias sob pressão de editores furiosos! Algo muito diferente do que acontece em grandes veículos de comunicação.



Back to Top ↑
  • Categorias


  • PODCAST DESTAQUE

  • Curta a TdG